Dr. Liaw W Chao

O tênis é um esporte que vem ganhando popularidade no Brasil, principalmente após a conquista do torneio de Roland Garros em 2000 e 2001 pelo tenista brasileiro Gustavo Kuerten. Também com um número rapidamente crescente de adeptos no Brasil e no mundo, o beach tennis ou tênis de praia – esporte que surgiu em 1997 na província de Ravenna, na Itália – mistura o tênis tradicional, vôlei de praia e badminton.
A meta ideal de qualquer atleta é poder praticar seu esporte com frequência e com destreza, e ter uma boa recuperação após o exercício, evitando-se ao máximo o surgimento de lesões – que tem como sua pior consequência o afastamento do atleta de suas atividades esportivas por um tempo muitas vezes imprevisível, a depender da seriedade do traumatismo sofrido e da qualidade da recuperação a que foi submetido.
Podemos a grosso modo dividir as lesões esportivas em dois grupos: um por traumatismo agudo – quando há um trauma ou esforço muito grande feito em curto espaço de tempo; e outro por sobrecarga mecânica – quando as estruturas do corpo são submetidas a esforços menores, porém com um número grande de repetições, ou quando se utiliza de técnicas ou postura inadequadas. Em tenistas, as lesões mais comuns são as musculares envolvendo ombro, região lombar, região cervical, perna e coxa; seguidas das lesões tendíneas comprometendo cotovelo, ombro, quadril e coxa; e as lesões ligamentares acometendo tornozelo, joelho, mão e punho.
A acupuntura é uma técnica milenar chinesa, porém amplamente utilizada no ocidente, principalmente no Brasil – aonde é sistematicamente aplicada no tratamento de dores e também na reabilitação de lesões musculoesqueléticas. Mais recentemente, com a adição de estímulos elétricos terapêuticos através de eletrodos acoplados às agulhas, surgiu a eletroacupuntura – técnica que conta com recursos adicionais e excelentes resultados na abordagem e tratamento das lesões do esporte. Esta técnica estimula o corpo a produzir substâncias químicas com propriedades analgésicas, anti-inflamatórias, e de relaxamento físico e mental – permitindo a redução do tempo total de tratamento para recuperação da lesão. Estudos realizados demonstraram que este procedimento tem sido considerado altamente eficiente em promover analgesia nas situações de dor no treinamento, evitando o uso excessivo de medicamentos, e dessa maneira, facilitando a prática esportiva plena.
A eletroacupuntura atinge seus efeitos através da estimulação de pontos localizados em músculos, tendões e ligamentos – no grupo muscular ou nas articulações comprometidas na prática desportiva. Os principais objetivos incluem redução do edema (inchaço) e inflamação, com consequente alivio das dores, relaxamento da musculatura e aumento qualitativo e quantitativo da amplitude de movimento das articulações
O tratamento consiste, em média, de duas sessões semanais após a avaliação inicial do médico especialista. A duração é variável, dependendo da gravidade e evolução de cada caso, e muitas vezes não há necessidade de se interromper o treinamento – podendo-se somente adequar a intensidade e duração do treino nesta fase do tratamento, o que pode ser feito mesmo a partir da primeira sessão. Este procedimento não tem efeitos colaterais, e é minimamente invasivo e indolor, desde que realizado corretamente por médico habilitado.
É comum na fase inicial de um tratamento fazer-se associações de analgésicos, anti-inflamatórios e relaxantes musculares com a acupuntura. Mas à medida em que os efeitos terapêuticos vão surgindo, os medicamentos são progressivamente reduzidos até serem retirados.
O principal benefício para o atleta é que a acupuntura estimula o corpo a produzir esteroides e endorfinas. Os esteroides diminuem a inflamação, enquanto as endorfinas diminuem a dor. Assim, ela funciona como um bom antiinflamatório e analgésico natural.

Leave a Reply